Take a fresh look at your lifestyle.

Bloco de Concreto em Natal

Você talvez já tenha ouvido falar da alvenaria estrutural. Cada vez mais comum, o método se utiliza de blocos de concreto, ao invés de vigas e pilares para a estruturação de um imóvel. Apesar de parecer estranho – uma casa sem vigas?! – a opção é bastante barata, rápida e de qualidade ainda maior que imóveis fabricados do modo “tradicional”. Basta, apenas, escolher o bloco adequado, e contar com consultoria de qualidade do arquiteto! Por isso, é incrível opção aderir ao bloco de concreto em Natal!

Natal é a capital do estado do Rio Grande do Norte e foi fundada menos de um século após o Descobrimento do Brasil. Conhecida por suas belezas naturais, como praias, dunas e lagoas, a cidade teve crescimento lento em seus primeiros anos, mas a partir do século XIX cresceu exponencialmente.

O crescimento ocorreu por diversos fatores: pelas oportunidades de negócio, pelo destaque da cidade como ponto de apoio à marinha americana na Segunda Grande Guerra, e claro, pelas inovações da Construção Civil. Como o bloco de concreto, que permite a construção de imóveis de forma mais rápida e barata.

Bloco de concreto em Natal: as vantagens

As vantagens do uso do bloco de concreto em qualquer obra são imensas. Primeiro, a redução de custos: as peças são mais baratas que tijolos comuns. Além disso, são também mais leves, permitindo que sejam transportadas mais facilmente pelo canteiro de obras. Isso agiliza todo o processo da obra, e economiza no pagamento da mão-de-obra.

Outro motivo pelo qual há redução dos custos é o rendimento das peças. Por metro quatro, são necessários apenas 12,5 blocos, número bem inferior ao de outras construções. Logo, é necessário menos material para uma obra. Somada a isso, há a capacidade dos blocos em suportarem, sozinhos, uma edificação: não há necessidade, em muitos casos, que haja instalação de vigas e pilares. Isso garante, inclusive, mais rapidez na realização da construção.

Há também menos desperdício quando o bloco de concreto é a base de um imóvel. Isso uma vez que existem diferentes tipos de blocos, com formatos que eliminam a necessidade de quebra ou corte de uma peça inteira. Assim, não há erros que poderiam levar ao descarte daquele material.

Os formatos mais interessantes disponíveis no mercado são o meio-bloco, a peça em U e a em J. O meio bloco corresponde a aproximadamente metade do tamanho de uma peça normal. Isso a torna perfeita para o arremate da obra. Já a peça em U, ou tipo canaleta, facilitam a execução de cintas e vergas, enquanto as peças em J permitem execução mais rápida da cinta de respaldo para lajes.

Outros benefícios de uso

Uma vantagem é garantida ainda pelas normas da ABNT. A ABNT é a Associação Brasileira de Normas Técnicas, responsável pelo teste e controle de qualidade de uma série de produtos no Brasil. Segundo suas normas, as dimensões dos blocos devem ser múltiplas de 10 cm, o que facilita a execução de projetos de construção e até a compra do material.

O uso do bloco na construção de um imóvel permite ainda bom isolamento térmico do interior da edificação. Afinal, a mistura de que a peça é feita absorve pouco calor, mesmo que permaneça durante todo o dia sob a incidência solar.

Há também o ótimo isolamento acústico do concreto. Essa característica evita que o interior do prédio receba muitos sons vindos de fora, garantindo assim maior conforto sonoro de seus usuários. Além disso, os sons produzidos no imóvel acabam também por não “escapar” tanto ao ambiente externo. Isso torna o bloco de concreto interessante principalmente para prédios residenciais, uma vez que os barulhos de um vizinho não incomodarão tanto o outro.

O produto oferece ainda facilidade na instalação de encanamentos e fiações elétricas. Isso porque a maioria dos blocos é vazado, ou seja, traz espaço para que essas estruturas sejam embutidas em seu interior. Logo, isso elimina a necessidade de quebra das paredes para instalação.

Ao mesmo tempo, a finalização da obra fica mais prática. Primeiro porque o consumo de argamassa para assentamento dos blocos é bastante baixo. Ao fim, as peças podem ser cobertas também por uma fina camada do material, por gesso ou ainda por azulejos. Os azulejos podem ser aplicados diretamente sobre o produto de concreto, sem a necessidade de qualquer arremate anterior. Ainda é possível deixar os blocos a mostra, de modo a agregar à decoração do imóvel. Isso torna o local mais rústico e despojado.

Quando utilizar?

Blocos de concreto podem ser utilizados nas mais variadas obras, se não todas. Para isso, basta apenas ter atenção à escolha das peças, pois cada uma é adequada a uma construção diferente.

Os blocos designados M10, por exemplo, podem erguer até um pavimento do imóvel. Já para dois pavimentos, o bloco indicado é o classificado como M12,5. Para prédios maiores, há materiais como o M15 e o M20, sendo que esse último pode erguer até 20 andares.

Outra classificação existente é pelas classes A, B, C e D. As denominações nada têm a ver com a qualidade do material, mas sim com sua indicação de uso. O bloco de classe A, por exemplo, tem uso estrutural, podendo definir elementos de alvenaria acima ou abaixo do nível do solo. Já as peças de classes B e C também têm função estrutural, mas só devem ser usados acima do nível do solo. Os da classe D, por sua vez, devem ficar também acima do nível do solo, mas não têm função estrutural, ou seja, não devem ser utilizados para erguer prédios.

Para que o material adequado seja eleito, é fundamental contar com o auxílio do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra. É ele que vai definir se o bloco de concreto é realmente uma opção interessante para aquela edificação. Vai definir ainda as quantidades necessárias para aquela obra, as dimensões e tipos mais interessantes do material, a primordialidade ou não de vigas e pilares e mais. Assim, com a orientação correta, o uso do bloco de concreto em Natal para sua construção será um sucesso, para o bolso, o visual e a segurança da edificação.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.