Take a fresh look at your lifestyle.

Bloco de Concreto em Santo André

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), Santo André ocupa o 15º lugar na lista das cidades mais desenvolvidas no Brasil. Ocupa também a posição de 5ª melhor cidade do país para se criar filhos, devido à infraestrutura que o município oferece. Mas toda essa infraestrutura não apareceu “do nada”: ela é fruto de muito trabalho do Poder Público e da Construção Civil, que com o uso do bloco de concreto em Santo André auxiliou no processo de aceleração desse desenvolvimento.

Santo André fica localizada na Região do Grande ABC, em São Paulo. Seu nome remonta à antiga vila de Santo André da Borda do Campo, que existiu na região do Grande ABC. Esta vila foi fundada por João Ramalho, um explorador português que se casou com uma índia da região.

Bloco de concreto em Santo André: por que usar?

O uso do bloco de concreto para obras no município, assim como em qualquer outro, é indicado para todos os tipos de construção. Principalmente quando a edificação precisa ser finalizada com agilidade e custos baixos. Isso porque o bloco de concreto é uma peça com grande rendimento, cobrindo um metro quadrado apenas com 12,5 peças. Logo, o espaço a ser construído ganha contornos muito mais rápidos.

Outra característica que auxilia nessa rapidez é o peso da peça. Os blocos são mais leves que outros tipos de material, como tijolos de alvenaria “comuns”. Assim, o material pode ser transportado mais facilmente pelo canteiro de obras, sendo necessário pouco esforço do trabalhador para tal. Ou seja, há mais agilidade no processo.

O assentamento das peças é igualmente facilitado, uma vez que eles têm maior regularidade de tamanho e peso. Basta apenas fina camada de argamassa entre eles para essa etapa, o que resulta numa estrutura resistente.

Os blocos são, ao mesmo tempo, baratos. Como a obra baseada com esse material também demanda menor quantidade de produto, a economia é considerável ao bolso.

As construções que requerem grande resistência estrutural também podem aproveitar da alternativa. A resistência é tomada como a capacidade do material em suportar ações mecânicas, como choques, a chuva, vento e outras. Materiais de pouca qualidade podem se abalar com situações desse tipo.

Resistência e outras vantagens

O bloco de concreto é material tão resistente que, por vezes, pode suportar sozinho o peso de toda a construção, eliminando a necessidade de vigas e pilares. Isso torna o produto autoportante, e permite inclusive que prédios de até vinte andares sejam erguidos dessa forma!

A mistura de que um bloco é feito é composta normalmente por água, cimento, cal e pó de alumínio. Juntos, esses componentes são resistentes ainda a umidade, à formação de fungos, ao calor e a agentes químicos. Há ainda a resistência ao fogo, o que torna o produto interessante até mesmo para a construção de paredes corta-fogo.

Esse tipo de material possui ainda bom isolamento termoacústico. A característica, primeiro, afeta a dispersão do calor no interior do imóvel. Como não absorve o calor, o bloco acaba por manter a temperatura dos cômodos mais agradável.

Já em relação ao som, a vantagem é que o bloco de concreto não deixa passar muitos ruídos, nem de dentro da edificação para o espaço externo, nem do ambiente externo para o interno. Isso torna o material vantajoso especialmente para edifícios, visto que os ruídos de um andar dificilmente incomodam o outro.

Como a maior parte dos blocos utilizado é vazado, há também o benefício do espaço já existente para passagem de canos e fiações elétricas. Assim, fica descartada a necessidade de quebra da alvenaria para essa instalação.

Cuidados importantes

A escolha pelo uso do bloco deve ser feita logo na etapa do projeto do edifício. Assim, o engenheiro responsável pela edificação pode estabelecer as quantidades necessárias de material e outras especificações importantes à execução de um projeto desse tipo.

Essa definição ajuda, por exemplo, na determinação do tipo de bloco ideal a cada etapa da obra. Como já citado, as peças mais comuns são as maiores e vazadas. No entanto, há também aquelas chamadas de meio-bloco, que normalmente correspondem a uma peça com metade do tamanho de um bloco inteiro. A peça em U é ideal para a instalação de canaletas, enquanto as em formato de um J facilitam a execução do projeto de laje.

De qualquer modo, é fundamental que a obra com bloco de concreto em Santo André seja erguida com peças fabricadas em indústria especializada e autorizada. Essa dica é importante porque, Brasil afora, ainda é comum a prática de produção de blocos no próprio canteiro de obras.

Realizar ação assim, no entanto, pode ser perigosa. Isso porque o bloco pode não ser produzido com as proporções corretas de material, nem ser prensado completamente. Com isso, a resistência das peças, e de toda a edificação, fica comprometida.

Atenção a classes e avaliações

Para ajudar na escolha do melhor material, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) realiza verificação de qualidade em todo material produzido. Para isso, analisa a própria resistência do material, sua absorção da água e retração por secagem. Verifica ainda as dimensões e peso dos blocos produzidos pela marca, uma vez que as medidas devem ser as mais idênticas possíveis entre todas as peças.

A aparência física dos materiais é igualmente analisada. Questões como a homogeneidade do bloco e a ausência de trincas ou outras imperfeições. Se muito poroso, o produto pode não ter assentamento adequado, mais uma vez comprometendo a solidez da obra.

Além disso, é essencial atenção à escolha da classe do bloco. O de classe A tem função estrutural, e pode ser utilizada em obras acima ou abaixo do solo. Já as peças das classes B e C só devem ser utilizadas em elementos de alvenaria acima do nível do solo. O material da classe D, por outro lado, não têm função estrutural e deve ser utilizado acima do nível do solo.

Os blocos mais recomendados são o de classe C. Nessa categoria, é possível encontrar a divisão por pavimentos. As peças designadas como M10 são ideais para um pavimento, enquanto as M12,5 podem erguer até dois pavimentos. Já os blocos M15 e M20 podem sustentar edificações de vários andares.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.